Texto descritivo

Fala, galera!

Hoje vamos aprofundar nossos estudos em uma tipologia não muito comentada, mas não menos importante: a descrição.

A intenção de um texto descritivo é fazer o leitor captar e visualizar aquilo que está sendo descrito da forma mais próxima possível à sua realidade.

Definição:

A descrição é um tipo de texto em que, por meio da enumeração de detalhes e da relação de informações, dados e características, constrói-se um “retrato verbal” daquilo que se pretende descrever.

 

Observem o exemplo a seguir. Trata-se de uma descrição de um objeto:

Clarinete

Um elemento clássico e imprescindível num concerto, o clarinete, com seu timbre aveludado, é o instrumento de sopro de maior extensão sonora, pelo que ocupa na banda de música o lugar do violino na orquestra.

O clarinete que possuo foi obtido após o meu nascimento, doado como presente de aniversário por meu bisavô, um velho músico, do qual carrego o nome sem tê-lo conhecido. O clarinete é feito de madeira, possui um tubo predominantemente cilíndrico formado por cinco partes dependentes entre si, em cujo encaixe prevalece a cortiça, além das chaves e anéis de junção das partes, de meta. Sua embocadura é de marfim com dois parafusos de regulagem, os quais fixam a palheta bucal.

Sua cor é confundivelmente marrom, havendo partes onde se encontra urna sensível passagem entre o castanho-claro e o escuro. Possuindo cerca de oitenta centímetros e pesando aproximadamente quatrocentos gramas, é facilmente desmontável, o que lhe confere a propriedade de caber numa caixinha de quarenta e cinco centímetros de comprimento e dez de largura.

Com pouco mais de um século, este clarinete permanece calado, latente, sem produzir sons nem músicas, pois, não herdei o dom de meu bisavô e nunca me interessei por este tipo de instrumento, mas, quem sabe se daqui a alguns anos não aparecerá um novo João Rodolfo, que herde ao mesmo tempo, de seus bisavôs e tataravôs, respectivamente, o instrumento e o dom.

                                                                       João Rodolfo Cavalcanti A. de Araújo

 

AS SEQUÊNCIAS DESCRITIVAS

Enquanto uma sequência narrativa caracteriza-se por uma sucessão de acontecimentos a partir de uma progressão temporal, a descritiva busca pura e simplesmente apresentar algo num certo momento. Para isso, um texto descritivo organiza-se em frases que podem ou não vir acompanhadas por sequências explicativas. Em um plano linguístico, a descrição apresenta algumas características, como, por exemplo:

  • Presença de substantivos, que marcam traços genéricos do objeto descrito, e de adjetivos e locuções adjetivas, que atribuem características específicas que permitem um detalhamento maior;
  • Uso de verbos de ligação;
  • Predomínio da coordenação de ideias;
  • Predomínio de verbos no pretérito imperfeito e no presente do indicativo, uma vez que, em uma descrição, busca-se fazer com que aquilo que se descreve apareça como um quadro vivo à nossa frente. O pretérito permite tornar “presente” o que já passou;
  • Emprego de metáforas e de comparações, o que possibilita que o interlocutor tenha mais elementos para montar a imagem descrita.

 

A ESTRUTURA

  1. Introdução – A perspectiva do observador focaliza o ser ou objeto e distingue seus aspectos gerais.
  2. Desenvolvimento – Capta os elementos numa ordem coerente com a disposição em que eles se encontram no espaço, caracterizando-os objetiva e subjetivamente, física e psicologicamente.
  3. Conclusão – Não há um procedimento específico para conclusão. Considera-se concluído o texto quando se completa a caracterização.


O PONTO DE VISTA

Além da posição física, é fundamental a atitude psicológica que temos em relação ao que será descrito. Como a descrição depende do olhar de um observador, ela pode ser objetiva ou subjetiva:

 

A) Descrição subjetiva: é feita a partir de um ponto de vista pessoal, ou seja, é transmitida uma imagem por meio de juízos de valor. A opinião do observador fica em evidência e a interpretação que ele faz das coisas é bastante subjetiva, sentimental.

Exemplo:

A dona era uma velha balofa, de peruca mais negra do que a asa da graúna. Vestia um pijama desbotado e de seda japonesa e tinha as unhas aduncas recobertas por uma crosta de esmalte vermelho-escuro, descascado nas pontas encardidas.                                                                     

(Lygia Fagundes Telles, “As formigas”)

 

B) Descrição objetiva: é aquela descrição em que é feito um retrato bem próximo à realidade daquilo que é descrito. As palavras buscam uma exatidão maior na passagem da ideia, sem explorar tanto o sentimentalismo.

Exemplo:

A dona tinha aproximadamente 1,70m e 60 kg. Vestia uma blusa rosa decotada e uma saia rodada na altura dos joelhos. Seus cabelos eram castanhos encaracolados e sua pele morena.

 

SE LIGA!

  1. É bem improvável encontramos uma descrição absolutamente objetiva, uma vez que, por menor que seja, sempre haverá certa influência do autor em relação àquilo que venha a ser descrito. O que diferencia uma descrição objetiva de uma descrição subjetiva é a intensidade dessa interferência.
  2. Dificilmente, encontramos um texto exclusivamente descritivo. O que normalmente vemos são trechos descritivos inseridos em um texto narrativo ou dissertativo. 

 

CAIU NO ENEM

O transtorno do comer compulsivo vem sendo reconhecido, nos últimos anos, como uma síndrome caracterizada por episódios de ingestão exagerada e compulsiva de alimentos, porém, diferentemente da bulimia nervosa, essas pessoas não tentam evitar ganho de peso com os métodos compensatórios. Os episódios vêm acompanhados de uma sensação de falta de controle sobre o ato de comer, sentimentos de culpa e de vergonha. Muitas pessoas com essa síndrome são obesas, apresentando uma história de variação de peso, pois a comida é usada para lidar com problemas psicológicos. O transtorno do comer compulsivo é encontrado em cerca de 2% da população em geral, mais frequentemente acometendo mulheres entre 20 e 30 anos de idade. Pesquisas demonstram que 30% das pessoas que procuram tratamento para obesidade ou para perda de peso são portadoras de transtorno do comer compulsivo.

Disponível em: http://www.abcdasaude.com.br. Acesso em: 1 maio 2009 (adaptado).

Considerando as ideias desenvolvidas pelo autor, conclui-se que o texto tem a finalidade de:

a) descrever e fornecer orientações sobre a síndrome da compulsão alimentícia.

b) narrar a vida das pessoas que têm o transtorno do comer compulsivo.

c) aconselhar as pessoas obesas a perder peso com métodos simples.

d) expor de forma geral o transtorno compulsivo por alimentação.

e) encaminhar as pessoas para a mudança de hábitos alimentícios.

 

Comentários:

Após uma leitura atenta do texto, podemos perceber uma exposição de dados estatísticos e descritivos, sem, entretanto, fornecer orientações nem conselhos sobre a síndrome em questão. Assim, a alternativa correta é a letra D.

 

Bem, galerinha, essa foi nossa aula de hoje. Curtiram? Alguma dúvida?

Comentem aqui!

Até a próxima!Wink



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2018. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria