Os tipos de discurso

Fala, galera!

Hoje, vamos falar sobre os tipos de discurso. Veremos como essa prática pode ser incorporada a um texto e entender como esse recurso ajuda a compor e a caracterizar personagens.

O discurso é uma prática humana de construir textos, sejam eles escritos ou orais. Dessa forma, todo discurso é uma prática social. A sua análise deve, portanto, considerar o contexto em que se encontra, assim como as personagens e as condições de produção do texto.

O discurso na narração:

Em um texto narrativo, por exemplo, o autor pode optar por três tipos de discurso: o direto, o indireto e o indireto livre. Esses não estão separados necessariamente. Eles podem aparecer juntos em um texto, dependendo de quem o produziu.

  • O DISCURSO DIRETO

Nesse tipo de discurso, o narrador permite que as personagens ganhem voz. É o que ocorre, normalmente, em diálogos. O discurso direto é a reprodução fiel ou a tentativa de reproduzir a fala do personagem. Tal mecanismo permite que traços da fala e da personalidade das personagens sejam destacados e expostos no texto.

Nota-se a presença dos chamados verbos de elocução, ou seja, aqueles que introduzem a fala, como “dizer”, “falar”, “perguntar”, entre outros. Entre o verbo e a fala, há uma pausa marcada, na escrita, por travessões, dois pontos e aspas, por exemplo. As exclamações também são comuns durante a reprodução das falas. Normalmente, é reproduzido em primeira pessoa.

Vejam o exemplo a seguir:

A professora disse:

- Quero falar com os responsáveis do aluno.

 

  • O DISCURSO INDIRETO

Nesse tipo de discurso, o personagem não fala com suas próprias palavras. Nesse caso, o narrador se utiliza de palavras suas para reproduzir a fala e as reações das personagens. É escrito normalmente em terceira pessoa.

Observem o exemplo:

A professora disse que queria falar com os responsáveis do aluno.

 

  • O DISCURSO INDIRETO LIVRE

O texto é escrito em terceira pessoa e o narrador conta a história, mas as personagens têm voz própria, de acordo com a necessidade do autor de fazê-lo. Na realidade, o que ocorre é uma mistura dos outros dois tipos de discurso e as duas vozes se fundem. A fala do personagem se insere sutilmente no discurso do narrador, permitindo-lhe revelar aspectos psicológicos dos personagens. Nesse caso, a fala do personagem não é marcada por verbo de elocução ou por sinais de pontuação.

Vejam o exemplo a seguir:

“D. Aurora sacudiu a cabeça e afastou o juízo temerário. Para que estar catando defeitos no próximo? Eram todos irmãos. Irmãos.”

                                                                                                          Graciliano Ramos

 

TRANFORMAÇÃO DOS TIPOS DE DISCURSO

Observem as situações a seguir:

Discurso direto:

O diretor disse:

– Quero um relatório completo das atividades.

Discurso Indireto:

O diretor disse que queria um relatório completo das atividades.

Reparem que existem algumas diferenças nas estruturas de cada tipo de discurso. O discurso direto, por exemplo, apresenta-se em primeira pessoa, enquanto o indireto fica em terceira. Além disso, o discurso direto requer uma pontuação específica, o que não ocorre com o indireto. Vale ressaltar, também, a mudança dos tempos verbais.

A partir disso, devemos destacar alguns aspectos da relação entre discurso direto e indireto, como demonstrado no quadro a seguir:

 

 

A seguir, deixo alguns exercícios para vocês fixarem o conteúdo abordado na aula de hoje.

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO

1) Observe a frase a seguir:

A fúria do jovem parecera incontrolável, e ele disse que derrubaria a porta, que jamais o deteriam ali.

Assinale a alternativa que indica a melhor transformação do discurso indireto do texto em discurso direto:

a) - Derrubarei a porta, jamais me prenderão aqui.

b) - Derrubaria a porta, jamais me prenderiam aqui.

c) - Derrubarei a porta se me prenderem aqui.

d) - Derrubaria a porta se me prendessem ali.

e) - Derrubarei a porta, jamais me prenderão ali.

 

2) (FATEC)

"Ela insistiu:

- Me dá esse papel aí."

Na transposição da fala da personagem para o discurso indireto, a alternativa correta é:

a) Ela insistiu que desse aquele papel aí.

b) Ela insistiu em que me desse aquele papel ali.

c) Ela insistiu em que me desse aquele papel aí.

d) Ela insistiu por que lhe desse este papel aí.

e) Ela insistiu em que lhe desse aquele papel ali.

 

3) (ESAN)

"Impossível dar cabo daquela praga. Estirou os olhos pela campina, achou-se isolado. Sozinho num mundo coberto de penas, de aves que iam comê-lo. Pensou na mulher e suspirou. Coitada de Sinhá Vitória, novamente nos descampados, transportando o baú de folha."

O narrador desse texto mistura-se de tal forma à personagem que dá a impressão de que há diferença entre eles. A personagem fala misturada à narração. Esse discurso é chamado:

a) discurso indireto livre

b) discurso direto

c) discurso indireto

d) discurso implícito

e) discurso explícito

 

Comentários:

Nas duas primeiras questões, vocês deveriam estar atentos às alterações nos tempos verbais, na pessoa gramatical (verbos e pronomes), nos advérbios e na pontuação. Já a questão 03, ao mencionar a mistura entre a fala da personagem ao discurso do narrador, faz referência ao discurso indireto livre.

GABARITO:

1) A

2) E

3) A

 

Bem, por hoje, é isso, galerinha.

Alguma dúvida? Curtiram a aula? Comentem!

Até nosso próximo encontro!Cool



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2018. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria