MÉTODOS DE RACIOCÍNIO LÓGICO

Fala, galerinha!

No post de hoje, vamos falar sobre os métodos de raciocínio lógico. Para começarmos o nosso estudo, é importante partirmos da origem da palavra “método”, que corresponde a um caminho por meio do qual se chega a determinado objetivo ou fim.  (meta = através de, odos = caminho).

Dessa forma, quando estabelecemos os métodos de raciocínio, na verdade, encontramos meios de chegarmos a uma conclusão, partindo-se de uma linha de pensamento.

SE LIGA! Os métodos de raciocínio na redação:

É importante destacar que, em um texto argumentativo, muitas vezes, partimos de um método de raciocínio para desenvolver e defender uma ideia. A argumentação tem por objetivo a persuasão e, para isso, recorremos a provas objetivas ligadas a razão, a raciocínio lógico e a proposições (premissas) que conduzem a conclusões.

A seguir, vamos estudar os diferentes métodos e ver como podemos trabalhá-los em um texto. Vamos lá?

 

OS MÉTODOS DE RACIOCÍNIO LÓGICO

Basicamente, são três os métodos de raciocínio utilizados: o indutivo, o dedutivo e o dialético.

O MÉTODO INDUTIVO

É aquele que parte da análise e da observação de fatos concretos, específicos, para se chegar a determinada conclusão.

A indução vai do particular para o geral.

De acordo com o raciocínio indutivo, a generalização não deve ser buscada a priori, mas constatada a partir da observação de casos concretos suficientemente confirmadores dessa realidade.

Vejam o exemplo a seguir:

João é mortal.

Antônio é mortal.

Sérgio é mortal.

João, Antônio e Sérgio são homens.

Logo, homens são mortais.

SE LIGA! Os métodos de raciocínio na redação:

É comum trabalharmos com a método indutivo ao redigirmos uma redação. Em um texto dissertativo argumentativo, por exemplo, ao se estabelecer uma relação de causa e de consequência, podemos partir de uma indução.

Observem:

“Cada brasileiro deveria se preocupar mais com seu papel na construção da nação. Como o cidadão não cumpre com seus deveres, fica cada vez mais difícil que o Brasil cresça de forma mais ordenada e constante.”

Reparem que partimos de individualizações para, posteriormente, generalizarmos a ideia. (INDUÇÃO)

 

O MÉTODO DEDUTIVO

Diferentemente da indução, o método dedutivo parte do desconhecido (genérico) para o conhecido (específico).

A dedução vai do geral para o particular.

Vejam o exemplo a seguir:

Todos os povos devem respeitar as diferenças culturais. O brasileiro, berço da diversidade, deve fortalecer tal comportamento.

Notem como partimos de uma generalização (“Todos os povos”) para, depois, falarmos do brasileiro especificamente. (DEDUÇÃO)

SE LIGA! Os métodos de raciocínio na redação:

A dedução, também, é bastante utilizada em textos dissertativos argumentativos. Observem o fragmento a seguir:

“O Brasil é conhecido no cenário mundial por suas belezas naturais. Apesar disso, vários são os problemas em relação ao desrespeito de leis ambientais. É inaceitável, por exemplo, presenciar cenas de desmatamento da Floresta Amazônica e vê-la sofrer as consequências da derrubada ilegal de árvores.”

Notem que, inicialmente, faz-se uma afirmação genérica sobre os problemas ambientais brasileiros para, depois, dar-se um exemplo (especificação) envolvendo a Floresta Amazônica. (DEDUÇÃO)

 

O MÉTODO DIALÉTICO

O método dialético consiste em se estabelecer um raciocínio a partir de ideias a princípio contrárias para se chegar, posteriormente, a uma síntese. A dialética utiliza a tese (ideia inicial), a antítese (ideia contrária à tese) e a síntese (conclusão) como elementos básicos para a argumentação.

Atenção! A síntese pode ser reafirmadora (retoma e reafirma a tese inicial) ou conciliadora (tenta conciliar a tese com a antítese).

Exemplo:

Reparem a construção de dialéticas na tirinha acima e notem que, nesse caso, a síntese foi conciliadora, uma vez que se criou um ponto de contato entre tese e antítese, unindo-as.

 

SE LIGA! Os métodos de raciocínio na redação:

A dialética pode ser utilizada na dissertação argumentativa como recurso de contra-argumentação. É como se um contra-argumento funcionasse como uma antítese.

Não se esqueçam de que a contra-argumentação é um recurso argumentativo opcional em que mostramos um outro lado, sem, entretanto, nos contradizermos. Além disso, vale lembrar que a síntese, em uma dissertação argumentativa, sempre terá de ser reafirmadora, visto que, na conclusão, não podemos nos esquecer de retomar a tese.

Caso tenham alguma dúvida, consultem nossa aula sobre o parágrafo de conclusão:

http://soumaisenem.com.br/portugues/dissertacao-argumentativa/o-paragrafo-de-conclusao

 

CAIU NO ENEM

(ENEM 2012)

 

Que estratégia argumentativa leva o personagem do terceiro quadrinho a persuadir sua interlocutora?

a) Prova concreta, ao expor o produto ao consumidor.

b) Consenso, ao sugerir que todo vendedor tem técnica.

c) Raciocínio lógico, ao relacionar uma fruta com um produto eletrônico.

d) Comparação, ao enfatizar que os produtos apresentados anteriormente são inferiores.

e) Indução, ao elaborar o discurso de acordo com os anseios do consumidor.

 

Comentário:

A alternativa que melhor se adequa é a letra E. Para persuadir sua interlocutora, o personagem recorre a uma técnica específica de associar sua compra à obtenção de mais um produto.

 

Bem, pessoal, essa foi nossa aula de hoje! Qualquer problema no raciocínio, é só postar aqui!Tongue Out

 

 

 



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2018. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria