COESÃO REFERENCIAL

Fala, galerinha!

Como já vimos na aula anterior, um texto com coesão é aquele que apresenta conexão entre suas ideias. Para que essa ligação seja estabelecida de forma clara, podemos utilizar diversas ferramentas. Hoje, vamos falar sobre um importantíssimo processo coesivo: a COESÃO REFERENCIAL.

Para começar nossos estudos, vamos à tirinha da famosa personagem Mafalda:

 (Quino)

Vejam que os pronomes “ISSO” e “ISTO” funcionam como elementos coesivos, uma vez que conectam informações presentes na tira. Percebam que tais termos aparecem em situações diversas de fala e têm propósitos diferentes.

Neste post, vamos ver a importância de saber utilizá-los corretamente em um texto. Para isso, precisamos estudar alguns conceitos mais amplos. Vamos lá?!

 

COESÃO REFERENCIAL

Esse tipo de coesão ocorre quando determinado elemento textual se remete a outro, substituindo-o. A referência, inicialmente, pode ser em relação a um dado externo ou interno ao texto. Dessa forma, temos:

  • Coesão por Referência Exofórica: é aquela que se refere a um elemento fora do texto.

Exemplo:

“A gente era pequena naquele tempo. E aquele era um tempo em que ainda se apregoava nas ruas. Não em todas as ruas, mas naquela onde vivíamos. Naquela rua, que tinha por nome a data de um santo, o tempo passava mais lentamente do que no resto da cidade de Porto Alegre.”

(Trecho inicial de uma crônica, postada no site http://revistagloborural.globo.com, por Letícia Wierzchowski)

Notem que as expressões em destaque se referem a informações externas ao texto.

  • Coesão por Referência Endofórica: é aquela que faz referência a algo dentro do texto.

SE LIGA!

A referência endofórica pode ser feita a algo mencionado anteriormente no texto – anáfora – ou a algo mencionado posteriormente – catáfora.

Analisemos os exemplos a seguir:

1) Não consegui passar o recado para seu pai, pois, quando eu voltei, ele já havia ido embora.  (“ele” -> termo anafórico)

2) Lá estava ela, ali parada, minha amiga! (“ela” -> termo catafórico)

Notem que, no primeiro exemplo, o pronome “ELE” desempenha função anafórica uma vez que RETOMA a expressão “seu pai”. Já no segundo, vemos o pronome “ELA” exercendo função catafórica, já que se refere a um termo posteriormente expresso – “minha amiga”.

 

CoolDICA DE REDAÇÃO!

Saibam utilizar corretamente os pronomes demonstrativos na redação:

Lembrem-se:

ISTO, ESTA, ESTE (e demais contrações) -> CATAFÓRICOS

ISSO, ESSA, ESSE (e demais contrações) -> ANAFÓRICOS

Observem:

I) No Brasil, o problema é este: a violência.

II) A violência cresce a cada dia no Brasil. Esse problema deve ser combatido por meio de medidas mais eficazes.

Notem como, na frase I, o referente “violência” está localizado posteriormente, logo o pronome “este” desempenha função catafórica; já na frase II, a referência foi feita anteriormente, portanto o pronome “esse” possui função anafórica.

 

Para finalizar nossa aula de hoje, deixo aqui mais alguns exemplos de termos que exercem coesão referencial, evitando, assim, indesejáveis repetições vocabulares:

O trabalho que eu fiz mereceu destaque. (pronome relativo, retomando o termo “trabalho” e ligando as orações)

Tenho dois objetivos: o primeiro é passar no vestibular; o segundo, arrumar um bom emprego. (numerais que substituem os respectivos “objetivos”)

Moramos no Brasil. Aqui, as leis não são respeitadas como deveriam. (advérbio retomando o substantivo próprio “Brasil”)

 

CAIU NO ENEM

(ENEM 2009)

Páris, filho do rei de Troia, raptou Helena, mulher de um rei grego. Isso provocou um sangrento conflito de dez anos, entre os séculos XIII e XII A.C. Foi o primeiro choque entre o ocidente e o oriente. Mas os gregos conseguiram enganar os troianos. Deixaram à porta de seus muros fortificados um imenso cavalo de madeira. Os troianos, felizes com o presente, puseram-no para dentro. À noite, os soldados gregos, que estavam escondidos no cavalo, saíram e abriram as portas da fortaleza para a invasão. Daí surgiu a expressão "presente de grego".

Em "puseram-no", a forma pronominal "no" refere-se:

a) ao termo "rei grego".

b) ao antecedente "gregos".

c) ao antecedente distante "choque".

d) à expressão "muros fortificados".

e) aos termos "presente" e "cavalo de madeira".

 

 

Comentários:

Para resolver a questão, basta recuperar as informações do texto. Notem que a forma pronominal “no” retoma o termo “presente”, que por sua vez retoma “cavalo de madeira”, desempenhando função anafórica. Como podemos perceber, a alternativa que demonstra isso é a letra E – gabarito da questão.

 

Bem, galera, espero ter colaborado para que esse assunto se torne mais claro e objetivo. No próximo post, veremos outros processos coesivos.

Qualquer dúvida ou comentário, é só postar aqui! Estou sempre atenta!Laughing

Até nosso próximo encontro!

 

Assuntos



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2014. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria