AS RELAÇÕES DE SUBORDINAÇÃO E COORDENAÇÃO ENTRE TERMOS I

Oi, gente!

Vamos para mais uma aula de Gramática para o ENEM?

Bom, sabemos que a Sintaxe se preocupa com as relações funcionais entre os termos que compõem uma oração e entre as orações de um período. No entanto, para que as relações sintáticas ocorram,  outro vínculo se faz: o semântico.

Nessa perspectiva, sintaxe e semântica estão juntas para estabelecerem os tipos de ligações que podem envolver os termos de uma oração e as orações. Trata-se das relações de subordinação e coordenação.

A primeira relação que veremos será de subordinação. Segue abaixo!


SUBORDINAÇÃO________________________________________________________

A relação de subordinação implica a dependência. Estar subordinado quer dizer existir  um elo de sentido que deve ser mantido para que a estrutura se mantenha harmônica, e esse elo é realizado pelas funções sintáticas; em outras palavras, a subordinação exige uma parceria entre os termos para que eles ajam, funcionem para a manutenção da frase.

  • No período simples:

Minha filha pagou a consulta ao médico. 

– Veja que as partes que compõem a oração são interligadas entre si, a partir da ação verbal:

PAGOU – o sujeito da ação: “minha filha”;

                - os complementos da ação:  o quê – “a consulta”  a quem – “ao médico”

  • No período composto:

Os candidatos disseram que a prova foi fácil.

– Agora, além da estrutura interna, entre os termos presentes no enunciado acima, outra relação se faz: há duas ações verbais, portanto, duas orações. Entre elas, uma relação de subordinação, pois

“Os candidatos disseram” – a ação verbal possui  o sujeito, agente, e exige que seu sentido seja completado por informações que não estão inseridas na estrutura oracional: disseram o quê?

“ a prova foi fácil” – trata-se do sentido que completa o verbo “disseram”, presente na primeira oração. No entanto, trata-se de outra estrutura oracional também, que possui, internamente, seus elementos interagindo entre si, com outras relações de subordinação.

“que” – conectivo subordinativo responsável por ligar as duas orações, integrando a função de objeto direto que a 2ª representa  à 1ª.  

Assim,  vemos que a  subordinação constitui duas relações: a sintática, em que as categorias integrantes da frase desempenham funções específicas, e a semântica, que esclarece que, entre essas categorias, há uma dependência intrínseca , na qual uma precisa da outra para construírem um sentido ao enunciado, criando um contexto.

 

CAIU NO ENEM

(2010) 

O Flamengo começou a partida no ataque, enquanto o Botafogo procurava fazer uma forte marcação no meio campo e tentar lançamentos para Victor Simões, isolado entre os zagueiros rubro-negros. Mesmo com mais posse de bola, o time dirigido por Cuca tinha grande dificuldade de chegar à área alvinegra por causa do bloqueio montado pelo Botafogo na frente da sua área.

No entanto, na primeira chance rubro-negra, saiu o gol. Após cruzamento da direita de Ibson, a zaga alvinegra rebateu a bola de cabeça para o meio da área. Kléberson apareceu na jogada e cabeceou por cima do goleiro Renan. Ronaldo Angelim apareceu nas costas da defesa e empurrou para o fundo da rede quase que em cima da linha: Flamengo 1 a 0.

 

Disponível em: http://momentodofutebol.blogspot.com (adaptado).

 O texto, que narra uma parte do jogo final do Campeonato Carioca de futebol, realizado em 2009, contém vários conectivos, sendo que

a) após é conectivo de causa, já que apresenta o motivo de a zaga alvinegra ter rebatido a bola de cabeça.   

b) enquanto tem um significado alternativo, porque conecta duas opções possíveis para serem aplicadas no jogo.   

c) no entanto tem significado de tempo, porque ordena os fatos observados no jogo em ordem cronológica de ocorrência.   

d) mesmo traz ideia de concessão, já que “com mais posse de bola”, ter dificuldade não é algo naturalmente esperado.   

e) por causa de indica consequência, porque as tentativas de ataque do Flamengo motivaram o Botafogo a fazer um bloqueio.   

 

GABARITO

Em todas as opções são apresentados conectivos. O que a questão exige do candidato é o reconhecimento das relações semânticas reveladas por eles nos contextos nos quais estão inseridos.

Assim, eliminamos a letra A, por apresentar a ideia do TEMPO em que a zaga alvinegra rebateu a bola, em relação ao cruzamento de Ibson;

eliminamos a letra B, por apresentar a ideia de TEMPO simultâneo das ações entre Flamengo e Botafogo;

eliminamos a letra C, por apresentar a ideia de OPOSIÇÃO em relação à falta de chance do Flamengo para chegar à área do Botafogo

eliminamos a letra E, pois, na própria locução conjuntiva, há a ideia de CAUSA, a respeito da dificuldade de chegada do time rubro-negro no gol.

Ficamos com a letra D, pois mostra a ideia de CONCESSÃO, ou seja, tendo mais posse de bola, espera-se que o time não apresente dificuldade, mas foi permitido que o contrário ocorresse, apesar de todas as condições favoráveis.

 

Laughing Abaixo, segue um arquivo bonitim para o seu deleite. É só você baixar sobre as CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS. 

Smile Agora, siga para o próximo post que falará sobre as condições de coordenação e mais duas questões do ENEM  para você compreender!

Até! Wink 

Michelle Nunes

Assuntos



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2014. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria