O SIMBOLISMO NO BRASIL

Galerinha séria do Sou Mais! Cool

Marcado pelo gosto ao que é desconhecido, ao que não é dito diretamente, o Simbolismo chega ao Brasil pelas palavras de um dos maiores poetas brasileiros: Cruz e Souza. Para entender o movimento e como ele ocorreu em nosso país, vamos seguir com nossos estudos de Literatura. Boa aula!

O FIM DO SÉCULO XIX NA EUROPA

  • A Europa do fim do séc XIX enfrenta grandes indefinições. A sociedade transformou suas bases para acomodar a economia capitalista, que trouxe prosperidade para a elite e miséria para o proletariado.
  • Uma corrida pela hegemonia entre as potências ocidentais e o crescimento do movimento operário tornam a crise inevitável. Essa crise geraria as duas grandes guerras da história do séc XX.
  • Uma onda de pessimismo se espalha pelo continente europeu. O artista já não se apoia nos sentimentos e também não acredita que a razão seja suficiente para orientar seu olhar e inspirar sua arte. Em verdade, ele desconfia da realidade, considera-a enganadora, e entende que é necessário ver além do que ela pode lhe oferecer.
  • Influenciados por investigar o desconhecido, os artistas desse momento lançam o seu olhar indagador por todas as coisas e concretiza esse olhar em representações vagas, fluidas, imprecisas e abstratas.
  • Assim, o caminho da simbologia proporciona à alma sensível do artista a possibilidade de estabelecer analogias a partir deles, para revelar as relações entre o mundo visível e o mundo das essências. Criam, assim, uma arte que pretende estimular os sentidos humanos e, desse modo, permitir a apreensão da realidade sem o auxílio da razão.

Por essa razão, são chamados SIMBOLISTAS.

O PROJETO LITERÁRIO

  • Lançamento de “As flores do mal” (1857), de Baudelaire, inaugura-se uma literatura decadentista.
  • Concomitantemente, o Parnasianismo é inaugurado por quase o mesmo grupo, na França, por isso ambas estéticas possuem a mesma origem.

 

CARACTERÍSTICAS

  • Conhecimento intuitivo da realidade

- Exploração do mundo invisível. Apelação para os sentidos humanos. Uso de sinestesia.

  • Concepção mística do mundo

- Poemas cercados de fluidez e mistérios. Há um apelo para a musicalidade.

  • Alienação social

- Busca pelo místico, espiritual, imaterial.

- Impassibilidade do eu lírico diante dos acontecimentos cotidianos.

  • Imagem caleidoscópica (imagem e som)

- Alcançar elementos sugestivos evocando recursos linguísticos que revelarão o sentido essencial.

 

O SIMBOLISMO NO BRASIL

  • Surge na literatura brasileira juntamente com os autores parnasianos.
  • Apresenta como principais autores:

Cruz e Sousa


Alphonsus de Guimaraens

Ismália

Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.

No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar...

Veja a seguir o poema em ritmo de rock

 

 

Exercite-se!

(ENEM)

Cárcere das almas
Ah! Toda a alma num cárcere anda presa,
Soluçando nas trevas, entre as grades
Do calabouço olhando imensidades,
Mares, estrelas, tardes, natureza.
Tudo se veste de uma igual grandeza
Quando a alma entre grilhões as liberdades
Sonha e, sonhando, as imortalidades
Rasga no etéreo o Espaço da Pureza.
Ó almas presas, mudas e fechadas
Nas prisões colossais e abandonadas,
Da Dor no calabouço, atroz, funéreo!
Nesses silêncios solitários, graves,
que chaveiro do Céu possui as chaves
para abrir-vos as portas do Mistério?!
CRUZ E SOUSA, J. Poesia completa. Florianópolis: Fundação Catarinense de Cultura /
Fundação Banco do Brasil, 1993.
Os elementos formais e temáticos relacionados ao contexto cultural do Simbolismo encontrados no poema
Cárcere das almas, de Cruz e Sousa, são
A) a opção pela abordagem, em linguagem simples e direta, de temas filosóficos.
B) a prevalência do lirismo amoroso e intimista em relação à temática nacionalista.
C) o refinamento estético da forma poética e o tratamento metafísico de temas universais.
D) a evidente preocupação do eu lírico com a realidade social expressa em imagens poéticas inovadoras.
E) a liberdade formal da estrutura poética que dispensa a rima e a métrica tradicionais em favor de temas do
cotidiano.

Vamos ao gabarito?
C Laughing 

Até a próxima!

Michelle Nunes 



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2017. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria