CLASSE DE PALAVRA: O ADJETIVO (1)

(www.umsabadoqualquer.com)

 

E aí, galerinha!!!!!

Hoje, vamos que vamos com os estudos de Gramática, na área da Morfologia, com a classe dos Adjetivos.

Trata-se de uma classe gramatical variável que possui a função de acompanhar o substantivo, atribuindo a ele uma especificação, uma característica. São palavras que se referem ao estado, à aparência física dos seres.

 

MORFOSSINTAXE

Sintaticamente, os adjetivos podem desempenhar as funções periféricas (que acompanham os núcleos):

- Adjunto adnominal

- Predicativo do sujeito

- Predicativo do objeto

 

LOCUÇÃO ADJETIVA

Além dos adjetivos, há construções que podem agir como termos adjetivos; trata-se das locuções. São constituídas, em geral, por PREPOSIÇÃO + SUBSTANTIVO, e, podem possuir algum adjetivo correspondente.

Veja:

Cometeu um crime de paixão. = passional

Tempos de ouro! = áureo

Mas nem sempre haverá essa correspondência, como em:

Camisa de algodão; sapato de couro etc.

  

Surprised Cuidado!!!!

Há casos em que o uso corrente altera o sentido das palavras e a correspondência entre locução adjetiva e adjetivo pode ser alterada ou perdida. Por exemplo: homem sem camisa = homem descamisado. Ainda há a correspondência nesse caso, mas há mais de um sentido, pois o adjetivo “descamisado” também é usado para designar àqueles que são desprovidos de renda, que se encontram em situação de pobreza.

 

FORMAÇÃO

Assim como no caso dos substantivos, os adjetivos recebem uma classificação, quanto à formação:

SIMPLES – possuem um núcleo: belo / quente / materno / hepático / verde / mágico

COMPOSTO – possuem dois ou mais núcleos:  azul-marinho / luso-brasileiro / socieconômico

PRIMITIVO – radicais capazes de gerar novas palavras: curto / grande / feliz / móvel / azul / claro

DERIVADO – formado de outros radicais: infeliz / esverdeado / acinzentado / imóvel / incrível

PÁTRIOS -  são derivados de substantivos que estabelecem o sentido de origem, lugar: niteroiense / carioca / português / americano / chinês / hindu-europeu / ítalo-britânico

 

Vamos estudar?

CAIU NO ENEM!

A questão a seguir caiu na edição do ano passado:

 

O sedutor médio

Vamos juntar

Nossas rendas e expectativas de vida

Querida,

O que me dizes?

Ter 2, 3 filhos

E ser meio felizes?

 

VERISSIMO, L. F. Poesia numa hora dessas?! Rio de Janeiro: Objetiva, 2002.

 

No poema O sedutor médio, é possível reconhecer a presença de posições críticas

a)       Nos três primeiros versos, em que “juntar expectativas de vida” significa  que, juntos, os conjugues poderiam viver mais, o que faz do casamento uma convenção benéfica.

b)      Na mensagem veiculada pelo poema, em que os valores da sociedade são ironizados, o que é acentuado pelo uso do adjetivo “médio” no título e do advérbio “meio” no verso final.

c)        No verso “e ser meio felizes?”, em que “meio” é sinônimo de metade, ou seja, no casamento, apenas um dos conjugues se sentiria realizado.

d)       Nos dois primeiros versos, em que “juntar rendas” indica que o sujeito poético passa por dificuldades financeiras e almeja os rendimentos da mulher.

e)       No título, em que o adjetivo “médio” qualifica o sujeito poético como desinteressante ao sexo oposto e inábil em termos de conquistas amorosas.

 

GABARITO

No título, a palavra “meio” é usada como adjetivo, caracterizando o tipo de sedutor. Já no verso é usado como advérbio, referindo-se a ser um “pouco” felizes, cabendo, então, a crítica, pois, um “quase” sedutor  só é capaz de oferece pouco. Assim, temos a LETRA B como resposta!Laughing

 

Cool  Na próxima aula de gramática, continuaremos com os Adjetivos, dessa vez, vendo as flexões e o estudo dos graus comparativos.

Não deixem de comentar, avaliar a aula, curtir e comapartilhar por aí!Tongue Out 

Até lá!

Michelle Nunes Wink



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2018. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria