A CRÔNICA

Fala, galerinha!

Em se tratando de ENEM, precisamos estar ligados aos diferentes gêneros textuais. Hoje, vamos falar de um bastante presente nas provinhas de Português – A CRÔNICA.

(www.google.com)

 

Por que “crônica”?

A palavra “crônica” tem origem grega, vem de chronos (tempo). A partir disso, nota-se uma das principais características desse tipo de texto: seu caráter contemporâneo.

Trata-se de um interessante gênero textual oscila entre a literatura e o jornalismo. Geralmente, é publicada em jornais ou revistas e registra fatos do nosso cotidiano de forma simples, com doses de humor, ironia, crítica e poesia.

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS:

  • Apresenta elementos comuns em uma narrativa, como fato, personagens, tempo, espaço e narrador;
  • Normalmente, é um texto curto, com poucas personagens, que se inicia quando os fatos principais da narrativa estão por acontecer. Por isso, costuma limitar tempo e espaço;
  • A linguagem empregada nesse tipo de texto tende a ser simples, direta;
  • Permite que o leitor tenha uma visão mais abrangente, mostrando-lhe outros ângulos, como sinais de vida que, diariamente, deixamos, muitas vezes, escapar;
  • Tem por objetivo entreter os leitores e, ao mesmo, tempo, levá-los a refletir a respeito da vida e dos comportamentos humanos.

 

Separei, a seguir, um exemplo de um texto do contemporâneo Luís Fernando Veríssimo, conhecido escritor brasileiro que costuma trabalhar bastante com esse gênero:

Exigências da vida moderna (Quem aguenta tudo isso?)

 

Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causado ferro.

E uma banana pelo potássio. E também uma laranja pela vitamina C.

Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes.

Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água.

E uriná-los, o que consome o dobro do tempo.

Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão).

Cada dia uma Aspirina, previne infarto.

Uma taça de vinho tinto também. Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso.

Um copo de cerveja, para...não lembro bem para o que, mas faz bem.

O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber.

Todos os dias deve-se comer fibra. Muita, muitíssima fibra.

Fibra suficiente para fazer um pulôver.

Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente.

E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada.

Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia.

E não esqueça de escovar os dentes depois de comer.

Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax.

Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia.

Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma. Sobram três, desde que você não pegue trânsito.

As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia. Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma).

E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar delas quando eu estiver viajando.

Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações.

Ah! E o sexo.

Todos os dias, tomando o cuidado de não se cair na rotina. Há que ser criativo, inovador para renovar a sedução. Isso leva tempo e nem estou falando de sexo tântrico.

Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação.

Na minha conta são 29 horas por dia.

A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo!!!

Tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes.

Chame os amigos e seus pais. Beba o vinho, coma a maçã e dê a banana na bocada sua mulher.

Ainda bem que somos crescidinhos, senão ainda teria um Danoninho e se sobrarem 5 minutos, uma colherada de leite de magnésio.

Agora tenho que ir.

É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro.

E já que vou, levo um jornal...

Tchau...

Se sobrar um tempinho, me manda um e-mail.

(Luís Fernando Veríssimo)

 

Vejam que a crônica de Veríssimo trata de um tema simples, constantemente discutido em nosso dia a dia: a falta de tempo. Reparem que é narrada em primeira pessoa: o cronista conta suas próprias experiências e, a partir disso, o leitor é conduzido a se envolver com os pensamentos e com as dificuldades por ele enfrentadas. A linguagem usada é bem simples, revelando a leveza desse gênero textual.

E aí? Curtiram? Vamos ver como isso pode aparecer na prova?

 

CAIU NO ENEM

(ENEM 2008)

São Paulo vai se recensear. O governo quer saber quantas pessoas governa. A indagação atingirá a fauna e a flora domesticadas. Bois, mulheres e algodoeiros serão reduzidos a números e invertidos em estatísticas. O homem do censo entrará pelos bangalôs, pelas pensões, pelas casas de barro e de cimento armado, pelo sobradinho e pelo apartamento, pelo cortiço e pelo hotel, perguntando:

— Quantos são aqui?

Pergunta triste, de resto. Um homem dirá:

— Aqui havia mulheres e criancinhas. Agora, felizmente, só há pulgas e ratos.

E outro:

— Amigo, tenho aqui esta mulher, este papagaio, esta sogra e algumas baratas. Tome nota dos seus nomes, se quiser. Querendo levar todos, é favor… (…)

E outro:

— Dois, cidadão, somos dois. Naturalmente o sr. não a vê. Mas ela está aqui, está, está! A sua saudade jamais sairá de meu quarto e de meu peito!

Rubem Braga. Para gostar de ler. v. 3 São Paulo: Ática, 1998, p. 32-3 (fragmento).

 

O fragmento acima, em que há referência a um fato sócio-histórico — o recenseamento —, apresenta característica marcante do gênero crônica ao:

a) expressar o tema de forma abstrata, evocando imagens e buscando apresentar a ideia de uma coisa por meio de outra.

b) manter-se fiel aos acontecimentos, retratando os personagens em um só tempo e um só espaço.

c) contar história centrada na solução de um enigma, construindo os personagens psicologicamente e revelando-os pouco a pouco.

d) evocar, de maneira satírica, a vida na cidade, visando transmitir ensinamentos práticos do cotidiano, para manter as pessoas informadas.

e) valer-se de tema do cotidiano como ponto de partida para a construção do texto que recebe tratamento estético.

 


Comentários:

Como podemos perceber, a questão parte do conceito básico de crônica. A alternativa “E” define exatamente uma característica marcante desse gênero: um tema cotidiano, trabalhado de maneira crítica, sem deixar de lado o tratamento poético.


Por hoje, fico por aqui! Comentem, opinem, curtam! Até a próxima aula!Smile

 



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2017. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria