ANÁLISE PROVA ENEM 2013 - LÍNGUA PORTUGUESA

Galera,

Finalmente chegaram as provas do Exame Nacional do Ensino Médio. Foi, novamente, um final de semana de muito empenho e desgaste. No entanto, acredito que também tenha sido uma experiência de grande valor para cada um de vocês.

Bom, falando sobre a prova de Linguagens, num aspecto bem geral, posso dizer que foi bem menos cansativa que as últimas edições. Isso porque os enunciados, bem como os textos das opções vieram menores, mais objetivos. Os textos complementares também foram mais curtos e, como sempre, acompanhado de muitas imagens.

Em relação à Língua Portuguesa, já sabemos que o Exame não cobra conteúdo específico, mas considera o conhecimento deste conteúdo do aluno na elaboração da questão. No entanto, tanto para gramática quanto para literatura, houve sim, questões que abordavam conteúdo e não somente a análise do discurso. Foi o caso, por exemplo, da questão com a charge do desenhista Quino, criador da Mafalda, em que cobrava o efeito do humor do texto explorando o aspecto morfossintático de um dos termos colocados na fala do personagem. 

Outra questão que também abordou a análise gramatical em função do aspecto discursivo foi o texto sobre a origem da palavra “gripe” em que se relacionava a coesão referencial por elipse de um termo que agia como sujeito.

Em relação à literatura, caíram questões em que se estabelecem relações com imagens, como, por exemplo, o texto de Caminha e o quadro de Portinari. Mas houve dois momentos mais específicos, como a questão sobre a enunciação presente em Clarice Lispector, que, mesmo para quem não a leu, se tivesse estudado a Geração de 45 do Modernismo, compreenderia a relevância do aspecto existencial nas narrativas daquela época, o que facilitaria para encontrar a opção correta. Outra questão foi a presença do Parnasianismo, com Raimundo Correa e o famoso soneto “Mal secreto” em que há a crítica sobre o comportamento social. Uma questão de interpretação, porém, conhecendo o movimento literário, fatalmente conhece também o soneto, o que facilitaria bastante na resolução do exercício. O Tropicalismo também se presente, mas a questão foi de rápida resolução, pois exigia o mínimo de conhecimento desse movimento cultural.

Não se pode deixar de falar sobre o texto de Machado de Assis e a questão que o envolveu. Bras Cubas, de fato, inaugura o realismo na obra machadiana e o exercício exigia justamente esse conhecimento. No entanto, na apresentação das opções, não havia uma que representasse a desconstrução romântica no texto, o que nos levou a apostar na anulação da questão, contudo, a banca colocou como opção "o relógio representa a materialização do tempoe redireciona o comportamento idealista de Brás Cubas", ou seja, letra D. 

Então, galera, a prova foi menos cansativa que as edições anteriores em relação ao tamanho dos textos, mas deu trabalho para o aluno mais atento às opções que eram apresentadas.

Espero o sucesso de cada um de vocês!

Até a próxima!Cool

Michelle NunesWink



@ copyright ( Sou + ENEM ) 2018. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria