Clima - Massas de ar e pressão atmosférica

Olá pessoal, hoje continuaremos o nosso estudo sobre os fatores do clima, agora falaremos sobre as dinâmicas das massas de ar e a sua influência no clima.

 

Massas de ar: São enormes volumes de ar que carregam as características dos espaços que surgiram/passaram e influenciam enormemente o clima com o deslocamento de umidade e com alterações de temperatura.

 Ex: Uma massa de ar que surgiu nos Polo Sul em cima o Oceano Atlântico será uma massa fria e úmida, ou seja, carregará as características do espaço que surgiu. Da mesma maneira que as massas nascidas próximas à Linha do Equador serão quentes e as massas originadas em áreas desérticas serão secas.

 Por que essas enormes massas de ar se movimentam?

 O movimento do ar surge a partir da diferença de pressão atmosférica na superfície. O ar quando esfria se torna mais denso e faz um movimento de descida (aumenta a pressão) e o ar quando esquenta, torna-se mais leve e faz um movimento ascendente (diminui a pressão), a partir do momento que um ponto está com uma alta pressão e o outro com uma baixa pressão, o ar se desloca para equilibrar a pressão na atmosfera.

Logo, o ar sempre se desloca da alta para a baixa pressão.


Como podemos observar no esquema acima, o ar frio formador da alta pressão faz um movimento centrífugo, impedindo a chegada de umidade, por isso, as áreas de alta pressão são, em maior parte, áreas secas. O contrário também é observado, pois, as áreas de baixa pressão ao receberem ventos também recebem umidade, tornando-se uma área úmida.

 Consequências do deslocamento do ar.

Entre as consequências podemos apontar:

- Formação de desertos em áreas próximas aos 30° de Latitude – Espaços que movimento ascendente do vento, ou, áreas de alta pressão.

- Clima de Monções – Clima típico do Sul e Sudeste asiático (com destaque para as consequências na Índia) é caracterizado por apresentar metade do ano com clima superúmido e metade do ano com clima seco, fruto do deslocamento da massa de ar. Quando a alta pressão está no oceano, ventos úmidos provocam intensas chuvas, quando a alta pressão está no continente, os ventos secos criam fortes períodos secos.


Brisas – Os ventos que sopram no litoral mudam de sentido da noite para o dia, pois, durante o dia o mar (mais frio) se configura como uma área de alta pressão, logo, gera um vento úmido em direção ao continente. Durante a noite o mar está mais quente que o continente, logo, a alta pressão está localizada na terra que soprará sentido ao mar.

 No próximo post continuaremos nosso estudo de clima.

 

Como caiu no Enem

 (ENEM-2002) Numa área de praia, a brisa marítima é uma consequência da diferença no tempo de aquecimento do solo e da água, apesar de ambos estarem submetidos às mesmas condições de irradiação solar. No local (solo) que se aquece mais rapidamente, o ar fica mais quente e sobe, deixando uma área de baixa pressão, provocando o deslocamento do ar da superfície que está mais fria (mar).


À noite, ocorre um processo inverso ao que se verifica durante o dia.

 

Como a água leva mais tempo para esquentar (de dia), mas também leva mais tempo para esfriar (à noite), o fenômeno noturno (brisa terrestre) pode ser explicado da seguinte maneira:

a) O ar que está sobre a água se aquece mais; ao subir, deixa uma área de baixa pressão, causando um deslocamento de ar do continente para o mar.

b) O ar mais quente desce e se desloca do continente para a água, a qual não conseguiu reter calor durante o dia.

c) O ar que está sobre o mar se esfria e dissolve-se na água; forma-se, assim, um centro de baixa pressão, que atrai o ar quente do continente.

d) O ar que está sobre a água se esfria, criando um centro de alta pressão que atrai massas de ar continental.

e) O ar sobre o solo, mais quente, é deslocado para o mar, equilibrando a baixa temperatura do ar que está sobre o mar.

 

Até a próxima e bom estudo!          

 

 

 

 

 

 

 

 

Gab: a




@ copyright ( Sou + ENEM ) 2017. Todos os Direitos reservados.

Logo Webteria